12 de outubro de 2011

Toque a duas mãos...

Há dias que amanhecem secos, onde a alma caminha solitária por caminhos tortos da mente, rebuscando sensações, trazendo lembranças silenciosas à flor da pele. Onde a dor escarafuncha um buraco na alma, que se esvazia terrivelmente, como se a mesma se abandonasse do corpo em lampejos momentâneos. Dias de um doce amargo, de um misto de sensações e emoções, de um desenfreado correrio pelas alamedas verdejantes que me enchem o corpo de matizes dourados, num contraste negro, de fundo multicolor. Sensações que se agarram à pele, num turbilhão de pensamentos, de palavras e silêncios, sem nexo num contexto irreal do que um dia fez florir os sorrisos. Dias iluminados pelos sonhos invisiveis, pelos traços estranhos de um corpo que já atravessou o verão, e deixou a sua marca vincada na sombra da vida. Dias em que o peso dos dias se faz sentir em cada poro do corpo, mergulha e se afunda entre as quatro paredes internas onde impera o silêncio, onde jazem as memórias lívidas do tempo caído no renascer das noites, em interrupções inaudíveis. Dias onde os sorrisos rasgados andam entrançados de mãos dadas com as lágrimas, onde a carência de um gesto despoleta uma torrente de alucinações inesperadas, desejos vazios, inaturais esperanças, daqueles dias que foram enterrados no passado, onde as tuas mãos e as minhas mãos se abraçavam a tocar o mesmo instrumento, em vontades partilhadas, onde os versos escritos no teu olhar eram lidos pelos meus lábios, e faziam cair estrelas cadentes do céu, onde a lua rasgava o infinito em sussurros coloridos. Dias onde as horas enfeitam as ausências do nós como um jardim de rosas, sucumbido ao assobiar do vento. Dias apenas... que se evaporam vagarosamente na saudade de um piscar de olhos...

4 comentários:

Tatiana Moreira disse...

A saudade tem um poder enorme em nós... Ela nos faz passear por campos de dor e inspiração.
Mas o entrelaçar das mãos fortalece os laços e enriquece as relações!
Um abraço carinhoso

Eva Gonçalves disse...

Tantos dias desses... que maravilhosa e realisticamente descreves... beijo

Moi disse...

Tatiana,
A saudade é muito mais forte do que tantas pensamos...


Beijos :)

Moi disse...

Eva,
A saudade é sempre de dias bons, que gostávamos que ficassem para sempre, mas a vida avança e não é estática.



Beijinhos