1 de abril de 2012

Rindo devoro o mundo...

Atroz atracção... fugaz como o vento que passa e me amacia as mãos, arrepiando-me o peito. Louco como a vontade sôfrega de engolir o desejo de luxúria que me invade o corpo no cio. Languidamente despojada de preconceitos faço amor com as horas tardias que me engolem o desejo, em espasmos certeiros arrancados de dentro da barriga, como uma cobra enrolada no fundo da alma. Encosto-me na árvore da vida e suspiro mais alto que o grito do lobo no cimo de uma montanha ao luar... certeiro (en)canto que me atinge o coração, qual flecha do cupido lançada e quebrada em mil pedaços... folgo ao lamber as feridas deixadas, e uma vez mais, subo a escadaria do desejo, escondido, arrumado no fundo da gaveta da volúpia. Ah! Olho-te de frente e no olhar o tesão sentido no prazer desflorado no alvor da estrada, em cada passo dado, em cada beijo entregue pela língua provocante, sequiosa e gulosa pelo entrançar de cheiros e sabores de menta, e chocolate. Cravo as unhas na carne, rasgo profundo cravado na pele, e sinto o orgasmo que me percorre da espinha à medula, deixando-me sem sentidos... os que me fazem suspirar por ti, aqueles que me inflamam de imagens (ir)reais a mente faminta de cruzar o oceano dos sonhos. A noite já vai longa, e consumida pela fantasia daquele toque suave, que me invade o corpo, sem pedir licença, como morador residente, senhor de cada espaço palmilhado pela ponta dos dedos... daquele roçar de lábios que urgentemente se unem sem vontade de se largarem. E nas palmas das mãos a união dos dedos que me levam a conhecer o mundo!... Aquele espaço perdido no tempo, no escasso segundo trocado entre um olhar demorado...

6 comentários:

Satyro disse...

Parabéns pelo belíssimo texto, adorei! E a música de fundo também.

Moi disse...

Satyro,
Obrigado, são devaneios meus em horas tardias...

O som é sempre o mesmo por aqui!


Obrigado pela visita! :)






Beijos

Vintense disse...

Se calhar já to disse.. mas de facto.. ADORO a forma como dás sentimentos ás palavras levando a quem te lê a passar a barreira das letras e sentir o que sentes no momento q o escreves.

Conseguiste-me levar até onde estavas.

Obrigado pela magia.
Bj tentador

Moi disse...

Vintense,
De nada!
Eu é que agradeço o tempo que cada um passa aqui a ler-me. E cada um viaja para um lugar só seu onde as minhas palavras fazem sentido... nada mais que isso, a magia está dentro de cada um.



Beijos :-)

Procura de mim disse...

Gosto da tua musica ... e dos teus devaneios ... quem nao sente desejos???

Moi disse...

Procura de mim,
Não há ninguém que não sinta, todos somos humanos, somos seres carentes de afecto, carinho...

A música é sempre a mesma!
Devaneios, são apenas isso mesmo!
Obrigado pela visita!